Rua Labatut, 71 - São Bernardo do Campo - SP 11 4941-3662
Coleta de solo para análise química

Coleta de solo para análise química

Clique nas imagens para ampliar

As informações a seguir tem como objetivo auxiliar estudantes, docentes, profissionais da área ambiental e empresas de consultoria que atuam no gerenciamento de áreas contaminadas.

ANÁLISES QUÍMICAS PARA AMOSTRAS DE SOLO

Na avaliação ambiental confirmatória, que corresponde à segunda etapa do gerenciamento de áreas contaminadas, é realizada a primeira coleta de solo para análise química, a partir dos pontos de investigação definidos na avaliação preliminar, onde são determinadas as áreas com potencial de contaminação e suspeitas de contaminação de acordo com as atividades de risco executadas no local de estudo.

Após a emissão dos laudos analíticos pelo laboratório acreditado, é avaliada a ausência ou presença de contaminação em fase retida, e, caso seja confirmada a presença de contaminantes no solo em níveis superiores aos valores de intervenção utilizados como referência, na etapa seguinte do gerenciamento de áreas contaminadas (investigação ambiental detalhada) é realizada uma nova coleta de solo para análise química em pontos estratégicos para delimitação da contaminação em fase retida.

A coleta de solo para análise química pode ser realizada nas demais etapas do gerenciamento caso seja observada a necessidade de delimitação de alguma pluma identificada posteriormente.

A coleta de solo para análise química é realizada a partir de sondagens de investigação onde são cravados amostradores denominados liners, a cada metro perfurado, para posterior medição dos gases presentes no solo (Compostos Orgânicos Voláteis – VOC) auxiliando a seleção da amostra.

Os liners são utilizados para prevenir a perda dos voláteis durante o manuseio do solo, podendo interferir de modo negativo na seleção da amostra a ser analisada.

Após tais procedimentos, responsável pela coleta de solo para análise química coloca as amostras selecionadas, de acordo com as características do comportamento de cada parâmetro a ser analisado, em frascos apropriados fornecidos pelo laboratório responsável pelas análises químicas, preservados em caixas térmicas a determinadas temperaturas, evitando a alteração das condições reais da amostra de solo selecionada até a chegada ao laboratório que realizará as análises pertinentes.

O procedimento para coleta de solo para análise química deve ser realizado com base em normas técnicas específicas para tal procedimento, de acordo com as exigências feitas pelas legislações pertinentes obedecendo todas as etapas do gerenciamento de áreas contaminadas especificadas pela CETESB (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) em 07 de fevereiro de 2017 na Decisão de Diretoria nº 038/2017/C.

Gostou? compartilhe!