Rua Labatut, 71 - São Bernardo do Campo - SP 11 4941-3662
Gerenciamento de solos contaminados

Gerenciamento de solos contaminados

Clique nas imagens para ampliar

As informações a seguir tem como objetivo auxiliar estudantes, docentes, profissionais da área ambiental e empresas de consultoria que atuam no gerenciamento de áreas contaminadas.

SOLO CONTAMINADO

A contaminação do solo é um dos principais problemas da atualidade. As principais áreas poluidoras são: indústrias, aterros e lixões, resíduos eletroeletrônicos e elementos radioativos. Nessas áreas há a necessidade do gerenciamento de solos contaminados, na tentativa de minimizar os riscos ao meio ambiente e a saúde humana.

Os meios de contaminação no solo ocorrem através da lixiviação, adsorção, absorção e escoamento superficial. Para caracterização correta e precisa dos contaminantes o gerenciamento de solos contaminados se faz necessário para a tomada de decisão.

Para o gerenciamento de solos contaminados, são utilizados valores orientadores em comparação as quantificações existentes no local de estudo, onde indicam se o terreno poderá ser classificado como uma área contaminada e se apresentará risco para os cenários existentes. Como referência são utilizados os valores estabelecidos nas legislações nacionais (CONAMA 420/2009, DD N° 256/2016/E) e outras referências internacionais (para os compostos que nao possuem valores orientadores definidos nas normas brasileiras).

Qual a importância da coleta de solo no gerenciamento de solos contaminados?

A amostragem de solo é uma das etapas mais importantes na investigação de áreas contaminadas e no gerenciamento de solos contaminados, pois, através dela, conseguimos determinar as suas unidades hidroestratigráficas e o fluxo preferencial do contaminante, possibilitando a instalação de poços de monitoramento na zona de fluxo com maior representatividade. Também é possível constatar onde o contaminante encontra-se adsorvido, para Compostos Orgânicos Voláteis (VOC), através da perfilagem de gás, determinando assim, pontos de amostragem relevantes para a melhor avaliação do cenário da área investigada e para o gerenciamento de solos contaminados.

A amostragem geotécnica é outra ferramenta utilizada no gerenciamento de solos contaminados, pois através das informações dessas análises podemos definir através de cálculos, qual a quantificação de massa de contaminantes existente na área investigada.

Uma etapa de investigação de solo bem executada, pode reduzir custos futuros em um processo de remediação, pois as unidades estratigráficas e zonas de fluxo estarão melhor definidas, fazendo com que o sistema de remediação seja direcionado ao ponto de maior fluxo do contaminante, evitando retorno da contaminação por dessorção dos contaminantes do solo, evitando prejuízos financeiros aos contratantes e maior agilidade na finalização do processo.

Gostou? compartilhe!